Wednesday, November 30, 2005

Clonagem


“Em 1997, um grupo de investigadores escoceses, liderados por Ian Wilmut, anunciou ter clonado uma ovelha adulta. Para isso, este grupo de investigadores transplantou uma célula das glândulas mamárias de uma ovelha para um ovo não fertilizado de outra ovelha.
Após ter cultivado estas células num Maio de cultura apropriado, este grupo parou o ciclo celular em G0. Seguidamente, fundiu estas células com ovos de ovelha, nos quais havia sido removido o núcleo. As células resultantes desenvolveram embriões que foram implantados numa outra ovelha. Só um das centenas destes embriões completou o seu desenvolvimento.”

Texto retirado do livro de Biologia do 11ºano “Biologia e Geologia” da Areal Editores



Clonagem Terapêutica

Nos princípios de 2001, o governo da Grã-bretanha deu luz verde à clonagem de embriões humanos com fins terapêuticos. Sendo assim o primeiro governo do mundo a fazê-lo.
Estamos perante um tipo de clonagem que tem gerado um largo consenso favorável entre a comunidade científica por permitir a realização de alguns dos mais desejados sonhos científicos.
A maioria dos investigadores acredita que a clonagem terapêutica pode revolucionar a medicina, ao permitir desenvolver todo o tipo de tecidos (incluindo nervos, músculos, sangue e ossos) a partir de células mães, isto é, das que constituem um embrião com poucos dias antes de estas começarem a diferenciar-se.
Poder-se-ia substituir tecidos danificados por tecidos sãos, o que permitiria lutar contra muitas enfermidades degenerativas que hoje não têm cura, como a doença de Parkinson, Alzheimer e certas debilidades cardíacas.
Seriam possíveis grandes avanços, nomeadamente na resolução do problema da rejeição dos transplantes. Se uma pessoa recebe um tecido que provêm do seu próprio corpo, o sistema imunológico não o ataca. Esta técnica foi já comprovada em ratos.
Por último, dava-se ainda utilidade a milhões de embriões congelados que estão armazenados nas clínicas de fecundação in vitro espalhadas pelo mundo e que ainda não têm definido o seu futuro.

Pesquisa elaborada através do motor de pesquisa “Google”

1 Comments:

Blogger Prof. Marcelino said...

Meninos:
para colocarem a fonte dos vossos "posts" não chega dizer que resultaram de uma pesquisa no google. Têm de indicar o endereço da página...

12:58 PM  

Post a Comment

<< Home