Wednesday, December 21, 2005

Uma Solução Futura

A clonagem terapêutica pode tornar-se uma mais valia para famílias que à partida estavam condenadas a não ter descendência, por terem receio que esta nascesse com um qualquer tipo de doença.

Depois de calculados todos os riscos e consequências, estaremos confiantes e prontos para utilizar a clonagem terapêutica como um meio de prevenção e tratamento de doenças que hoje em dia tiram a vida a quem sofre de alguns males incuráveis.
Não temos ainda certezas, e este processo não é totalmente viável, pois há sempre o risco de algo correr mal, mas se não se investir e começar a pensar na clonagem terapêutica como uma ciência disponível, e que nos trará bastantes benefícios, a ciência não irá evoluir e iremos permanecer no mesmo ponto de situação, em termos de melhoramento do nível de vida das pessoas.

Algumas pessoas perguntam-se: será correcto criarem-se embriões humanos irão servir apenas para que outros seres tenham uma vida saudável? Então nós agora perguntamos: será correcto criar embriões humanos para a fertilização in vitro e apenas ser utilizado um desses embriões, enquanto os outros são “arrumados a um canto”?
Nós temos a nossa hipótese de resposta que nos parece ser a que mais se aproxima do que deve, efectivamente ser feito. Porque não aproveitar os milhares de embriões humanos inutilizados para realizar a clonagem terapêutica? Acabavam-se os problemas de armazenamento destes embriões e poderíamos proporcionar uma vida mais saudável, e em muitos casos salvar vidas, a muitas pessoas que morrem todos os anos com doenças que não têm cura.

Há ainda as questões económicas. É certo que todas as investigações que giram em torno deste processo são muito dispendiosas. Porém é sabido que muito dinheiro, que podia ser melhor aproveitado diga-se de passagem, continua a ser gasto em coisas supérfluas e insignificantes quando comparadas com o valor de uma vida.

Temos alternativa. Resta apenas que nos deixem desenvolver esta esperança para que possamos proporcionar mais sorrisos pelo mundo fora.

Defensores da clonagem reprodutiva

1.Na Europa destaca-se o ginecologista italiano Severino Antinori, em Março de 2001, anunciou em Roma que iria começar a clonar as primeiras crianças, dispondo já de cerca de 600 mulheres voluntárias em Itália e nos EUA dispostas a gerarem estes embriões. Israel foi o país escolhido para a realização desta experiência. Neste trabalho conta com a colaboração do biólogo molecular israelita Avi Ben Abraham e do médico Panaiotis Zavos, do Instituto Americano de Andrologia (EE UU). Antinori é muito conhecido em Itália, pelas suas experiências em induzir gestações viáveis em mulheres que há muito haviam terminado o seu período de fertilidade.

2. Na América do Norte, destaca-se Rael, o líder de uma seita defensora da clonagem humana. Entre os membros desta seita contam-se biólogos e especialistas em reprodução assistida. Rael afirma que em breve irá clonar as células do uma criança já morta, num laboratório secreto que possui nos Estados Unidos. Trata-se do filho de um casal dos EUA que morreu devido a um erro médico. O casal colocou à disposição da seita para esse fim, a indemnização que recebera do Hospital pela morte do filho. Rael afirma que já esteve numa nave de extraterrestres, como convidado, onde comprovou que os mesmos eram seres clonados. Em termos ideológicos afirma que este método permitirá aperfeiçoar o ser humano, defendendo que proibir estas experiências é impedir o avanço ciência. A ciência é a única "religião" em que acredita.

O principal argumento desta corrente, assenta no seguinte princípio: nada do que pode ser experimentado, deve deixar de o ser para o bem do conhecimento científico.
No futuro, afirmam os defensores da clonagem humana, nada pode impedir que:
-Um casal que não pode ter filhos por um processo natural, o não possa fazer através da clonagem.
-A interrupção não desejada no desenvolvimento de um feto, não possa ser concluída através da clonagem.
-Um casal homossexual não possa ter filhos através da clonagem.
-Uma criança morta prematuramente não possa reviver através da clonagem.

http://afilosofia.no.sapo.pt/10clonagem.htm

0 Comments:

Post a Comment

<< Home